terça-feira, 20 de dezembro de 2011


Guamaré significa água maré, por estar localizada às margens das marés dos rios Miassaba e Aratuá.

O local é conhecido desde 1605, quando por ali passou o capitão Pedro Coelho, com a sua mulher, a heroína Dona Tomázia, seus filhos e de soldados sobreviventes da tentativa frustrada de colonizar o Ceará. Salvaram-se da fome comendo Aratus crus e bebendo água fresca em Água Maré, arranchados junto a Cacimba D'água onde descansaram alguns dias, contra Frei Vicente do Salvador. Registrado no mapa de João Teixeira em 1612.

Em fevereiro de 1642 comander Elbert Smient encontrou salinas, três ou quatro léguas a leste do Rio Aguamara, local que ele denominou Huys der Woestine, casa-de-deserto, significando o aspecto solidário do futuro acampamento holandês.

No ano de 1783, o português João Francisco dos Santos, construiu a Capela de nossa Senhora da Conceição em gratidão por ter conseguido se salvar juntamente com a tripulação de seu barco, por ocasião de uma grande tempestade no alto mar.

Inicialmente Guamaré pertencia a Assu, passando para Angicos em 1833, que foi Distrito de Paz em 1834. Em 1837 os moradores da localidade pleitearam junta a Assembléia Legislativa a criação da Villa Imperial de Guamaré, mas não foram atendidos. Em 1847 incluiu-se no território de Macau.

Muito tempo depois, em 07 de maio de 1962, através da lei n° 2.744, Guamaré foi desmembrada de Macau, tornando-se um novo município do Rio Grande do Norte.

A vida econômica de Guamaré está baseada na extração do petróleo, hoje principal fonte de recursos, carcinicultura e pesca.

0 comentários