quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012


Uma tragédia atingiu o futebol egípcio nesta quarta-feira, deixando um rastro de mortos, feridos e destruição. Após vitória de virada por 3 a 1 sobre o Al Ahly, pelo campeonato nacional, a torcida do Al Masry invadiu o gramado e agrediu os jogadores adversários, que tão logo perceberam o que estava acontecendo, correram para o vestiário. O time estava de camisas vermelhas.

Segundo confirmou o secretário-geral do Ministério da Saúde egípcio, Hisham Shiha, pelo menos 74 pessoas acabaram mortas, entre elas 1 policial, e outras 248 foram feridas ( sendo 14 policiais). Apenas 47 pessoas foram presas. Nas fotos das agências internacionais, foi possível ver labaredas e fogo atrás de uma das arquibancadas.

“Todos os jogadores foram brutalmente agredidos. Ficamos presos no vestiário, e o nosso técnico não está conosco agora”, disse o lateral-direito do Al Ahly, Ahmed Fathi em entrevista por telefone ao portal local “Ahram Online”.

As imagens que correram o mundo mostram a invasão de centenas de torcedores, que passavam pelos policias sem muita resistência no início da confusão. O atropelo foi enorme. Havia gente caída em todos os cantos.

O delegado do Ministério da Saúde em Port Said, Helmy Ali al Atny, disse para a agência Efe que vítimas morreram devido a fraturas no rosto e hemorragias internas, provavelmente pisoteadas.

Os números de mortos continuam crescendo, segundo as emissoras locais. Os feridos estão sendo encaminhados aos hospitais da cidade. Um brasileiro estava em campo. Fábio Júnior, revelado pelo Campinense e com passagens por Inter, Flamengo e Vasco, abriu o placar para o Al Ahly.

Os torcedores do Al Ahly, mais conhecidos como Diabos Vermelhos, se chocaram com frequência com as forças de segurança egípcias nos protestos que sacudiram nos últimos meses a praça Tahrir do Cairo.

Estadão

0 comentários