quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A governadora Rosalba Ciarlini preferiu não adiantar o tom que trará hoje na mensagem anual que será lida para os deputados estaduais do Rio Grande do Norte. Essa será a segunda mensagem da chefe do Executivo. Ano passado, quando fez sua primeira mensagem, ela optou por estampar a situação em que havia encontrado o Estado potiguar. Para hoje, a expectativa é que a governadora apresente os planos de governo para a gestão já livre do retrovisor em que se mirou durante boa parte do primeiro ano de mandato.

A mensagem da governadora teve a atuação direta do secretário chefe do Gabinete Civil, José Anselmo Carvalho. Foi ele que coordenou o trabalho de catalogar as ações e os planos de cada secretaria. Ontem, Rosalba Ciarlini se reuniu com o secretário para fechar a mensagem, que vai ler a partir das 16h no plenário da Assembleia Legislativa.

Os deputados divergem quanto a expectativa da mensagem da governadora. Walter Alves (PMDB) acredita que a chefe do Executivo estadual trará um relato de como está sendo feito o reequilíbrio financeiro do Estado e as perspectivas de projetos de desenvolvimento para o Rio Grande do Norte. "Acredito que ela trará o balanço do reequilíbrio financeiro, com relação a capacidade de investimento, redução do custeio e a perspectiva para o Estado, com o porto, a ZPE", ressaltou.

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa concentra o foco na cobrança para que a chefe do Executivo apresente os planos de governo. "Espero que a governadora comece a cumprir os compromissos da campanha; ela precisa implementar um plano de governo e trazer um planejamento não apenas em palavras", disse o deputado estadual Fábio Dantas (PHS).

O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) disse esperar que o discurso da chefe do Executivo seja dissociado do que foi feito no ano passado. "A mensagem do ano passado foi uma ode ao retrovisor, espero que ela aponte o que vai fazer, apresente um balanço do que ocorreu ano passado e comece a governar", disse o petista. Ele lembrou que o Governo já fez um contingenciamento de 30% dos recursos que seriam destinados aos investimentos.

Fernando Mineiro também chamou atenção que enquanto a verba para investir sofre contingência, janeiro registrou uma arrecadação recorde para o Estado superando a marca dos R$ 330 milhões. "Espero que a governadora apresente as políticas e projetos administrativos", completou.

0 comentários