sexta-feira, 16 de março de 2012


Uma tentativa de assalto, no início da tarde de ontem, acabou em morte na Avenida São José, bairro de Lagoa Nova. O médico aposentado Onofre Lopes Júnior, 75 anos, filho do fundador da Faculdade de Medicina da Rio Grande do Norte, reagiu ao roubo do seu veículo, em frente à farmácia Pague Menos, e matou Julianderson Marcelo da Silva Pereira, de 30 anos, com oito tiros.
Antes, o médico ficou sob a mira da arma do assaltante, que o obrigou a descer do carro e entregar a chave.

Segundo o delegado Ulisses de Souza, titular da 5º DP, o médico e sua mulher, Sylvia Lopes, estavam saindo da farmácia quando foram surpreendidos com a ação do criminoso, portando um revólver calibre 38, que, ao bater no vidro da porta do motorista, anunciou o assalto. A intenção era levar um Ford Fusion, com placas MYV 7841, de São José de Mipibu.

Onofre Lopes Júnior atendeu às ameaças do bandido e sob tensão entregou as chaves e desceu do carro. Quando Julianderson tentava fazer a manobra de fuga, colocando a arma sobre o banco do passageiro, o médico sacou uma pistola calibre 380mm e disparou duas vezes, atingindo-o na nuca e no braço.

O assaltante ainda tentou fugir, correndo pela Avenida São José, mas foi alvejado outras seis vezes, morrendo a poucos metros do local do assalto. Ao verificar que o bandido morrera, o
casal fugiu num táxi. Relatos de testemunhas indicam que o médico estava muito nervoso após ter sido exposto à arma do assaltante e reagido.

Segundo Ulisses de Souza, o bandido morto possuía uma extensa ficha criminal. “Ele já havia praticado outros roubos a carros nesta mesma região”, disse. Também havia outro participante na tentativa de assalto de ontem. Os dois estavam numa moto, procurando possíveis vítimas de roubo.
O comparsa conseguiu fugir, após a morte do colega. A polícia não possui pistas do paradeiro, nem informações sobre a identificação do segundo assaltante.

A 5º DP abriu inquérito do caso e pretende, ainda hoje, convocar o médico aposentado para prestar depoimento. No entanto, o delegado titular não quis dar maiores detalhes sobre a investigação.

Fonte: Novo Jornal

Um comentário:

  1. Se não fosse esta besteira de crime de portar arma de fogo, estes bandidos não ousavam tanto em roubar livremente.
    O cidadão agiu em legitima defesa.

    ResponderExcluir