terça-feira, 3 de abril de 2012

Demóstenes "partido fez "pré-julgamento público"
 

Para evitar a expulsão do partido, dada como certa, o senador Demóstenes Torres (GO) pediu no final da manhã desta terça-feira (3) sua desfiliação do DEM. Deste modo, ele continua no Senado, mas sem partido.
Acusado de envolvimento com o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, ele corre o risco agora de enfrentar um processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética do Senado. Na carta em que pediu para deixar a sigla, Demóstenes fala em “prejulgamento”, o que foi refutado pelos dirigentes do partido.
- Embora discordando frontalmente da afirmação de que eu tenha me desviado reiteradamente do programa partidário, mas diante do prejulgamento público que o partido fez, comunico minha desfiliação do Democratas, afirmou Demóstenes, na carta entregue por um assessor ao presidente do partido, senador José Agripino (RN).
Na segunda-feira, sob pressão, o DEM resolveu abrir processo de expulsão por conta das denúncias de envolvimento com Cachoeira, preso em fevereiro durante operação da Polícia Federal. Gravações telefônicas feitas pela PFe divulgadas pelo Globomostram que Demóstenes usou cargo de senador para beneficiar Cachoeira. O senador chama o bicheiro de ‘Professor’, que, por sua vez, trata Demóstenes como ‘Doutor’.

0 comentários