terça-feira, 19 de junho de 2012



A juíza titular da 30ª zona eleitoral rejeitou a transferência de mais de 3.000 títulos em Guamaré que hoje conta com um eleitorado da ordem de mais de 11.000 eleitores no município onde a população é de pouco mais de 12.000 habitantes.

Como podemos ver no nosso município continua a pratica da transferência irregular de eleitores com intuito de ganhar eleições. A transferência fraudulenta pode falsear a representatividade popular no município, porque aquelas pessoas que transferirem o título nada tem a ver com aquela comunidade local. Acaba se tendo um resultado de eleição que não corresponde à vontade do povo do nosso município.

Tanto o candidato como o eleitor podem sofrer punições se identificada a transferência irregular de domicílio eleitoral. O eleitor pode ser submetido à pena de até cinco anos de prisão e multa. Por indução do eleitor ao crime, o candidato pode ser penalizado em até dois anos.

Infelizmente, esse caso de transferência irregular de eleitores demonstra que a corrupção eleitoral começa bem antes de se iniciar a campanha. E sempre pelo lado mais vulnerável, mas que tem o poder de decisão nas mãos, os eleitores. Impressionante como políticos tem uma obsessão por fantasmas. E começam a fazer uso deles bem antes de se eleger.

0 comentários