quarta-feira, 6 de junho de 2012


Elize Ramos Kitano Matsunaga, 38 anos, afirmou em depoimento nesta quarta-feira que matou o marido, Marcos Kitano Matsunaga, 42 anos, após uma discussão conjugal por conta de uma infidelidade que teria sido descoberta por ela. Ele era diretor-executivo da Yoki e foi encontrado esquartejado no fim do mês passado.

A mulher presta depoimento desde as 11h30. Segundo a polícia, ela afirmou também que foi agredida por Matsunaga antes do crime e que agiu sozinha. O rastreamento do celular mostra que a mulher esteve na região onde partes do corpo da vítima foram deixadas.

Essa é a primeira vez que Elize, que é bacharel em direito, é ouvida desde o crime. Até então, ela negava qualquer envolvimento na morte do marido.

Elize afirmou que após atirar na cabeça do executivo, arrastou o corpo até o banheiro da empregada onde fez o esquartejamento. Partes do corpo foram armazenados nos refrigeradores do apartamento onde o casal morava.

As três malas que aparecem com ela em imagens das câmeras de segurança do prédio foram usadas para fazer o transporte do corpo até o local onde foi feita a desova --na Grande SP, segundo depoimento. As malas estão sendo procuradas pela polícia, segundo Carrasco.

A arma usada no crime é uma pistola automática calibre 380 e foi encaminhada para a perícia. A polícia inicialmente disse que era uma arma calibre 7.65, mas corrigiu a informação.

Durante o depoimento, Elize disse que usou várias facas para esquartejar o corpo do marido. As facas do crime serão entregues para a polícia, de acordo com Carrasco.

O empresário havia desaparecido no dia 20 de maio. No dia seguinte, o primeiro pedaço de corpo foi encontrado. A última parte a ser achada foi a cabeça, que permitiu que o reconhecimento da vítima fosse feito pelo seu irmão no dia 28.

Elize está presa desde a noite de segunda-feira (4). Nesta quarta, a prisão foi prorrogada por mais 30 dias.

0 comentários