quarta-feira, 27 de junho de 2012


O Ministério Público Estadual (MP/RN) deflagrou na manhã desta quarta-feira, 27/06, a Operação Assepsia, que investiga a contratação de Organizações Sociais pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS). Mais cedo, foram recolhidos documentos da secretaria.
A operação também ocorre na Secretaria Municipal de Planejamento (Sempla). No total, somente na capital potiguar, são nove mandados de busca e apreensão, e seis de prisão. Até o momento, já foram presos o ex-secretário de Saúde, Thiago Trindade, o coordenador geral de administração e finanças da SMS, Assis Rocha, o tesoureiro da SMS, Carlos Fernando,  e Atônio Luna, atual secretário de Planejamento. Teve busca também na casa de procurador do Município.
A informação é de que a ação do Ministério Público tem relação direta com a atuação da Associação Marca em Natal, que administra além das três AMEs existentes atualmente (Brasília Teimosa, Planalto e Nova Natal), a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pajuçara.
Num levantamento feito em 2011, eram aplicados nas AMESs anualmente R$ 26.282.865,00 anuais, rateados, mensalmente, da seguinte forma: R$ 544.416,12 para AME Planalto; R$ 860.437,12 para Nova Natal e R$ 785.385,21 destinados a Brasília Teimosa.
A Associação Marca também administra o Hospital da Mulher, fato que já levou o MP a mover uma ação contra  Estado alegando ” irregularidades relativas à contratação firmada entre o Estado e referida Associação”.
Também foram realizadas buscas no Rio de Janeiro/RJ.

0 comentários