terça-feira, 7 de agosto de 2012

Agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal (PF) iniciam nesta terça-feira (7) uma greve por tempo indeterminado, em todo o Brasil, para cobrar reestruturação da carreira e dos salários da categoria. Apenas 30% do efetivo, exigido em lei, não vai parar.

De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Marcos Wink, a categoria esperou até ontem, segunda-feira (6) que o governo federal apresentasse uma proposta capaz de evitar a paralisação, o que não ocorreu.

Em todo o país, conforme os números da Fenapef, a PF tem cerca de 6.500 agentes, 2.000 escrivães e 700 papiloscopistas. Além desse contingente, há ainda 2.000 delegados que não aderiram à paralisação.

Segundo o presidente da federação, as entidades representativas em cada Estado definirão as ações durante a paralisação.

0 comentários