segunda-feira, 29 de outubro de 2012

 
O mercado erótico no Brasil cresce impulsionado pela forte demanda da classe C. De acordo com informações da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme) nos últimos dois anos, o setor registrou crescimento anual de 20% graças a ascensão da classe.
 
"Esse salto foi graças à classe C", disse a presidente da Abeme, Paula Aguiar. Além disso, a associação também afirma que atualmente há cerca de 40 mil revendedores de produtos eróticos no País - número bem superior aos 500, registrados há seis anos.
 

0 comentários